top of page

CASES & ARTIGOS

BLOG

  • Fernando Rocha

Por que minha empresa precisa ter um website?

Com o crescimento e maior alcance das redes sociais, muitas empresas, principalmente os pequenos empreendedores, acreditam que um website não é tão importante ou que o custo frente ao perfil gratuito no Instagram ou TikTok não compensa.


Antes de mais nada, o objetivo desse texto não é fazer um duelo entre Redes Sociais x Website, mas sim levantar os pontos positivos de se ter um website e mostrar como as próprias redes sociais podem gerar mais relevância para o seu site e vice-versa.

Vou começar dizendo que não existe almoço grátis. Os perfis em redes sociais são gratuitos e funcionam muito bem para interagir com os usuários, mas de alguma forma o “Markinho” (dono do Facebook, Insta e Whats) precisa ganhar dinheiro. Então o alcance de posts e conteúdos, por melhores que sejam, são limitados pelo algoritmo. Assim você vai precisar investir em promoções de postagens para atingir novas pessoas e não só sua família e aqueles amigos mais engajados (que às vezes nem são seu público consumidor).


Já no website, se as configurações de SEO (search engine optimization, o que o Google usa para encontrar o seu site na internet) estiverem certinhas e seu conteúdo for relevante para os clientes, o seu site tem uma grande chance de ser visto por mais pessoas logo na primeira página das buscas.


Funciona mais ou menos assim: a pessoa vai no Google (ou Bing) e digita: Comida Vegana Saborosa em Curitiba. Como resultado da busca, o Sr. Google vai apresentar, depois dos links patrocinados é claro, os websites mais relevantes na área que a pessoa está procurando. Cada vez que clicamos em um resultado e navegamos pelas páginas do website, estamos informando para a ferramenta que aquele website tem o que precisamos e por isso vai ser mostrado mais vezes para outras pessoas que buscarem pelas mesmas palavras-chave.


Então, quanto melhor for o seu conteúdo dentro do website e maior a cobertura de palavras do universo do seu negócio, melhor será o rankeamento nas pesquisas. Tem outros indicadores como frequência de atualização de conteúdo, responsividade, rapidez de carregamento e etc, porém o importante mesmo é o conteúdo em si.

Além da limitação de alcance das postagens, cada rede tem também o seu jeitinho de apresentar as informações sobre o negócio. No Instagram temos uma configuração de perfil com espaços restritos para contatos, por isso algumas marcas tentam superar essa limitação trazendo informações de horários, serviços e localização nos highlights ou utilizando serviços como Linktr.ee, Link.bio, conect.bio etc…Na maioria das vezes essas informações poderiam estar dentro do website da empresa de uma forma muito mais organizada, interativa e funcional.


Umas das primeiras redes sociais que viraram febre no Brasil foi o Orkut, logo todas as empresas trataram de criar seus perfis na plataforma e saíram em busca de conquistar “amigos”, depois vieram o Second Life, MySpace, Youtube, Twitter, LinkedIn, Pinterest, Facebook, Instagram e agora o TikTok. Sem contar outras redes que fizeram sucesso por pouquíssimo tempo. O ponto que queremos chegar é que ainda não sabemos o que faz uma rede ser mais atrativa que a outra e nem quando vai acontecer a transição de usuários de uma para outra.


As marcas acabam fazendo um esforço enorme para se adequar a determinada plataforma, acompanhar as tendências do momento e acabam desviando a atenção de coisas muito mais importantes, como a construção de bom posicionamento, estratégia de diferenciação e identidade de marca. Sem contar que a rede pode resolver mudar as diretrizes e estratégias e excluir uma configuração que fazia sentido pra você ou até mesmo banir o seu perfil sem aviso prévio.


Fazendo uma analogia simples, as redes sociais são como um terreno alugado, em uma rua de muita circulação, onde as empresas constroem suas sedes (da maneira que a rede permite) sem saber quanto tempo aquela rua vai continuar “bombando”.

Quando construímos um website, por mais que isso custe mais do que um Signup no Instagram, estamos controlando toda a narrativa da empresa. Trabalhamos todas as informações, cores, imagens e conteúdos da forma que acreditamos ser a mais eficiente para o nosso público. Isso gera mais valor para a marca, credibilidade para o produto ou serviço e acima de tudo profissionalismo.


Novamente ressaltamos que não somos contra os perfis corporativos em redes sociais, muito pelo contrário. Mas acreditamos que a criação de conteúdos relevantes devem ser feitas dentro do terreno controlado pela própria empresa e então desdobrado e adaptado para as redes sociais, como uma forma de atingir um certo público de um certo modo.


Por exemplo, esse artigo, assim como os cases que publicamos, estão em formato de texto, mas depois podem virar posts para as redes sociais, seja em formato de imagem, texto, áudio ou vídeo e ainda estar dentro do site. Se uma determinada rede acabar ou deixar de ser relevante, o conteúdo construído no website não se perde. Pode ser adaptado para outro formato, quem sabe no metaverso.


As redes sociais são importantes até mesmo para o rankeamento do site no google, uma vez que a ferramenta encontra os perfis nas redes e os links conectados ao site, isso funciona como uma teia de certificação que pode ajudar o seu site a ganhar relevância.

Através de um site, além de controlar a narrativa da sua marca, a empresa tem a liberdade de criar novas páginas, alterar conteúdos, atualizar o layout sempre que achar necessário. E se quiser ainda mais visitas ou conquistar ainda mais clientes, sempre é possível fazer uma campanha de anúncios, criar landing pages para oferecer serviços ou produtos específicos.


Ainda tem dúvidas sobre ter ou não um website para o seu negócio? Em um outro post vamos escrever sobre os tipos de website mais comuns que já executamos, como funciona o processo de construção e te ajudar a decidir o melhor caminho para começar a divulgar a sua empresa.


7 visualizações
bottom of page