CASES & ARTIGOS

BLOG

As etapas da jornada para sua marca ir além.

Uma das perguntas que os clientes mais nos fazem é “Quanto tempo demora para a minha marca ficar pronta?” o que muitas vezes vem logo depois de “Quanto custa mais ou menos para fazer o logo da minha empresa?”.


Nosso trabalho como estrategistas de marcas é, acima de tudo, auxiliar as empresas na comunicação da sua melhor versão através da criação de uma identidade de marca relevante, diferenciada, funcional e consistente em todos os seus pontos de contato. Mas isso só acontece quando entendemos profundamente as necessidades do cliente, sua forma de atuação, os objetivos da empresa, seu mercado e concorrentes.


Por isso, o projeto começa muito antes da construção do briefing. Na verdade, inicia assim que o telefone toca, a mensagem apita ou o e-mail do cliente chega até nós. Precisamos mostrar os fundamentos do nosso trabalho desde os primeiros momentos e a importância dessa jornada para o resultado final. Temos o dever de tangibilizar, educar o mercado, criar valor também para o nosso processo. Mostrar como podemos ser relevantes para o negócio do cliente e porque somos diferentes dos serviços online que cobram $5 por logotipo.


Nosso objetivo é fazer o cliente sair satisfeito com o resultado, mas também fazê-lo entender que não somos apenas operadores de um software que gera assinaturas gráficas bonitinhas e sim um importante parceiro estratégico do seu negócio desde os primeiros momentos.

Meu nome é Fernando Rocha, sou um dos fundadores da Minc.Space, onde atuo como estrategista de marcas, diretor criativo e gestor de projetos. Nesse artigo, vou apresentar brevemente a nossa metodologia e as 10 etapas da jornada para construção de valor em projetos de estratégia visual que utilizamos nos nossos projetos. São elas: Pedido de Orçamento, Apresentação da proposta, Canvas, Workshop, GPS da Marca, Pesquisa de Referências, Criação, Apresentação da Identidade, Apresentação dos Materiais de Comunicação, Finalização e Lançamento.


1. Pedido de Orçamento

_Esse é momento do início da nossa jornada. Já no primeiro contato buscamos entender a necessidade do cliente, os objetivos do projeto, porque estão buscando o serviço neste momento, se foram indicado por algum outro cliente (o que é algo bem comum no nosso caso), se o projeto em questão já foi feito por algum outro profissional, se estão orçando com outras empresas e, o mais importante, se tem alguma ideia de quanto planeja investir.


Essas questões são fundamentais para fazer um diagnóstico inicial do momento da empresa e já mostrar o quanto nosso trabalho se aprofunda em questões que o cliente nem estava esperando. Pode acontecer da empresa não estar madura o suficiente para participar desse processo, o valor do investimento disponível não ser suficiente ou entendermos que o projeto não representa o que acreditamos e simplesmente não seguimos adiante. O importante é deixarmos claro que tudo faz parte de uma metodologia e parte jornada de construção da marca.



2. Apresentação da Proposta

_De posse das informações preliminares da etapa de Orçamento e como já alinhamos expectativas de investimento, a proposta serve para consolidar e aprofundar o que vai ser feito. Como já trabalhamos com diversos tipos de projetos, dos mais variados tamanhos, temos uma ideia de escopo para cada tipo de cliente e necessidade, tornando mais ágil a construção do documento.


Na proposta em si, fazemos uma breve apresentação da Minc.Space. Destacamos os detalhes do escopo do projeto, com links para conferir a entrega de demandas parecidas, imagens do resultado de outros trabalhos (como um apelo mais visual) e, por fim, os valores para execução do projeto. É importante destacar desde o início o que não está incluso na proposta e um cronograma inicial.


Na apresentação da proposta destacamos graficamente, de maneira mais sucinta, as etapas do projeto para o cliente entender a jornada macro. Não estabelecemos datas de inicio, fim ou para as entregas intermediarias. Isto serve apenas para mostrar que o serviço é estruturado, baseado em etapas e parte de uma metodologia.


O cronograma em si é elaborado em conjunto com o cliente, uma vez que muitas etapas só iniciam após o recebimento de documentos, reuniões de alinhamento e aprovações de briefing.


3. Canvas

_Enviamos um questionário inicial para entender de uma maneira mais esquematizada e profunda como o cliente enxerga o seu produto/serviço, o mercado onde atua e qual necessidade precisa ser atendida.

Muitos clientes tem dificuldade para preencher e responder questões profundas sobre o seu negócio. Seja por não terem ainda uma ideia clara de quem são ou querem ser, ou simplesmente porque nunca fizeram esse exercício de reflexão.


Por isso, até mesmo a resposta mais simples ou a não resposta, diz muito sobre como o cliente enxerga o seu próprio negócio. O que nos ajuda muito a entender a empresa, o próprio gestor e onde buscar mais informações para a etapa do workshop.


Se a empresa possui mais de um sócio pedimos que preencham o Canvas em separado e depois façam a análise em conjunto para perceber e debater as diferenças, o que muitas vezes ajuda bastante na construção de um caminho uniforme para o restante do trabalho.



4. Workshop

_Depois de recebido o Canvas partimos para uma análise das respostas, salientando incongruências, anotando dúvidas e investigando os concorrentes e o mercado do cliente. Quanto mais informações e dúvidas tivermos nessa fase melhor. Mais rica será a etapa de workshop.


Nos reunimos com o cliente (agora de modo virtual) para aprofundamento das questões do Canvas, dirimir dúvidas, explorar mais algumas questões e até mesmo preencher perguntas que ficaram em aberto pois o cliente não conseguiu responder. Momento também para tirar duvidas em relação ao projeto, alinhar expectativas e configurar o calendário inicial de entregas.


Essa é uma etapa de muita troca de informações e o momento perfeito para mostrar o quanto estamos interessados pelo projeto e podemos fazer a diferença para a empresa. Saímos da reunião com a tarefa de decupar todo aquele universo de informações e iniciar o processo de GPS da Marca.



5. GPS da Marca

_O processo do GPS da Marca é divido em duas etapas. Na primeira etapa fazemos uma imersão profunda no universo do cliente para, em seguida, construir o diagnóstico ou descoberta estratégica da marca. Uma radiografia do momento e do mercado de atuação, suas fraquezas, oportunidades, desafios e insights.


Na segunda etapa do GPS descrevemos a estratégia de posicionamento da marca, definindo questões como propósito, valores, arquétipos, públicos e etc. Também projetamos a tagline, a narrativa da marca e conceitualizamos o universo Visual e Verbal que vamos trabalhar na etapa seguinte.


A apresentação do GPS é o documento inicial e mais importante antes de partirmos para a criação da identidade de fato. Por isso é fundamental que o cliente analise e aprove o conteúdo e os caminhos definidos no documento para que não haja conflitos de expectativa no decorrer do projeto.



6. Pesquisa de Referências

_Com base nas informações colhidas no canvas e no workshop, ampliamos a pesquisa sobre o cliente, o perfil do consumidor e competidores da empresa. Os concorrentes sempre merecem um destaque na medida em que serve de base para buscarmos a melhor estratégia. Devemos nos opor ou buscar um pertencimento?


As vezes o movimento de buscar o redesenho de uma identidade vem porque todos os outros concorrentes “se mexeram” e o seu cliente ficou para trás. Por isso, sempre realizamos uma análise de percepção da identidade e da comunicação dos concorrentes para definir a nossa estratégia ou entender melhor o mercado do cliente.


Aqui iniciamos também uma profunda busca de referências de design a partir de palavras-chave que destacamos do processo (atributos de personalidade da marca, arquétipos, diferenciais competitivos, argumentos de venda, história da empresa, etc). Pesquisamos símbolos, tipografias, cores e formas que podem ser caminhos para a construção da identidade, juntamos tudo e nos reunimos internamente para discutir a melhor estratégia. Sempre seguindo o que foi traçado no processo do GPS é claro.



7. Criação

_Finalmente chegou a hora de deixar a mente fluir e colocar as ideias no papel (ou na tela). Construir caminhos criativos, rascunhar ideias e desenhar os elementos da identidade é a parte mais divertida e desafiadora, mas tendo feito bem as etapas anteriores, fica mais fácil e natural o processo de decisão do rumo certo para atingir os objetivos do projeto.


Com o caminho definido, trabalhamos as tipografias, paletas de cor, possibilidades de assinaturas, testamos as propostas em diferentes tamanhos e nas mais variadas aplicações. Na revisão, buscamos o melhor resultado final possível e iniciamos a montagem da apresentação.



8. Apresentação da Identidade

_Na apresentação para o cliente (agora de modo virtual) fazemos um overview do projeto. Contamos a história de como chegamos ao resultado, desde a imersão até a revisão. Mostramos alguns rascunhos, a análise da concorrência, a construção dos arquétipos e moodboards.


Explicamos os conceito para a criação, a geração da paleta de cor, a escolha da tipografia e como os elementos da identidade interagem entre si. Mostramos as assinaturas gráficas em diversos materiais, fundos e aplicadas em mockups.


Essas aplicações são fundamentais para o cliente entender como a identidade funcionará no mundo real, traz aquele toque de “a coisa está pronta” para o projeto. Por isso é importante ter as informações atualizadas do cliente, assim ele enxerga seu nome, seus dados de contato, seu endereço aplicado na identidade e nos dá a oportunidade para explicar o padrão tipográfico, as variações sobre fundo de cor, aplicações verticais, horizontais e selo se for o caso.


Deixamos claro que as aplicações dessa primeira etapa são iniciais e assim que tivermos definido um caminho mais sólido, partimos para a criação dos materiais de comunicação. Etapa onde a identidade ganha mais corpo e consistência.


Acreditamos que não exista apenas um caminho para a construção da identidade, mas também temos que ter o cuidado de não transferir pequenas dúvidas sobre o projeto em forma de variações ou opções. Por isso as etapas de diagnóstico e definições do briefing são tão importantes, é o nosso olhar e a nossa perspectiva em relação a empresa que vamos traduzir em forma de estratégia e design.


Após a rodada de indagações e sugestões, enviamos a apresentação para o cliente apreciar, agora longe dos nossos olhares de expectativa. É fundamental deixar o cliente ter um tempo para analisar, discutir internamente e se preciso questionar mais algum detalhe.


Tendo algum ajuste mais importante fazemos um segundo envio para consolidação da proposta ou já partimos para a próxima etapa e ajustamos os detalhes.



9. Apresentação Materiais de Comunicação

_Depois das revisões e aprovações da etapa anterior, partimos para um processo de refinamento e ajustes técnicos do logotipo, para então, iniciar a criação dos materiais de comunicação (onde todos os elementos da identidade vão se manifestar e ganhar vida). Esse é o momento de criar os cartões de vista, folders, pastas, folhas timbradas, customizar as redes sociais, desenvolver templates e toda gama de materiais que foram estipulados no escopo do projeto.


Com tudo pronto fazemos mais uma rodada de apresentação das peças para o cliente escolher entre as variações ou definir os ajustes finais antes da etapa de finalização.



10. Finalização

_Essa etapa parece simples, uma vez que tudo já foi apresentado e aprovado, mas não é bem assim. Aqui começa um processo complexo de organização de arquivos, revisão de informações, conferência de especificações, fechamento de materiais para impressão, etc. São mini etapas que demandam bastante atenção, disciplina e, é claro, tempo.


Nomeamos e organizamos os arquivos do logotipo e elementos da identidade em pastas, criamos o manual de uso da identidade com as informações básicas de aplicação de logotipos e texturas, mais os dados da tipografia e escala de cores. Criamos tutoriais para manejo dos templates e de como exportar os arquivos, sejam de apresentações em PPT, como para postagens em redes sociais.


Como comentei anteriormente, cada etapa e cada projeto possuí sua particularidade, então definir uma data de entrega final da identidade lá no início da jornada é um mero exercício de adivinhação. O cunhado do cliente pode ficar doente e algum retorno que era esperado em 3 dias demorar mais de 2 semanas, ou na fase de aprovação do briefing a lista de materiais de comunicação dobrar e aumentar em 2 meses a entrega final (óbvio que isso acarretará em um aumento dos valores também).


O que normalmente fazemos (para saciar a angústia dos clientes) é estimar em semanas ou dias úteis as entregas de cada uma das etapas, sempre depois de recebermos e analisarmos as informações necessárias para iniciar o projeto, ou da aprovação da etapa anterior. O que nunca deve ser feito é deixar o dito pelo não dito. Resumindo, o combinado não sai caro.


O importante é as expectativas estarem alinhadas, mas de nossa parte, buscamos sempre superá-las. Seja entregando antes do prazo estipulado ou entregando algo a mais que a gente percebeu que o cliente vai precisar e não estava no escopo.



11. Lançamento

_Chegamos a última etapa da jornada, essa é a hora de construir com o cliente a estratégia e fases de implementação e lançamento da identidade. Definir os canais e caminhos para divulgar o nascimento ou modificações da marca.


Seja através de um post no blog, envio de um card para os clientes via whatsapp ou um evento de lançamento, esse é o momento de celebrar. De divulgar a nova identidade e oferecer produtos e serviços com um padrão de identidade profissional. Alinhado as estratégias e objetivos da empresa e gerando mais valor para o seu negócio.


— —


Go Beyond

Essas etapas são uma das formas de organização do processo. Estamos sempre aperfeiçoando ou atualizando, seja porque aprimoramos a metodologia ou em função de mudanças conjunturais. Como por exemplo em 2020, onde as reuniões presenciais foram extinguidas devido a pandemia e substituídas sem prejuízo algum pelas reunião por vídeo (o que acelerou alguns processos, visto que ficou mais fácil encontrar agenda com o cliente e também expandiu a nossa atuação para outros estados do país).


Vale lembrar que a construção da marca não se encerra no lançamento da identidade, é apenas uma etapa de um processo contínuo de manutenção das diretrizes consolidadas no desenvolvimento da jornada.

O que constrói a solidez que as empresas buscam para suas marcas é justamente a recorrência no uso de elementos e o alinhamento constante da comunicação com os seus valores e estratégia do negócio. Por isso, ao final da jornada, oferecemos o serviço de gerenciamento mensal, o Go Beyond, para consolidar e manter o padrão dos elementos definidos para a identidade, assegurando uma comunicação comprometida com os conceitos e objetivos da empresa.


Quer sabem mais sobre a nossa metodologia e nossos serviços? Entre em contato pelo email cosmos@minc.space. Estamos prontos para fazer seu projeto decolar!


1 visualização

Posts recentes

Ver tudo